AGÊNCIA ROCK CAPITAL
NOTÍCIAS DO CENÁRIO ROCK'N ROLL VOCÊ OUVE AQUI!
  • Estela Felix

Banda Cyber Croatoan lança Single I Can't Take

Por Estela Felix


Após um ano desde o lançamento do EP New Vison Of Pain, a banda de Industrial Dark Metal de Goiânia, Cyber Croatoan, retornou com algo inédito no dia 4 de julho de 2020, trata-se da música “I Can’t Take”. O single tem elementos do Doom Metal e do eletro/sinfônico. A capa foi feita pelo antigo baixista, Pablo Otávio.




A banda Cyber Croatoan nasceu em 2009 como uma ideia de Phillipe Vitriol, o vocalista. Ele falou um pouco sobre o nascimento da banda para a Rádio Rock Capital.


“Eu tinha saído da minha primeira banda de Black Metal que se chamava “Dark Synphorium” e fazia alguns anos que eu estava longe da música, mas a vontade em fazer algo novamente sempre esteve forte. Iniciei o projeto sozinho porque não tinha ainda uma banda e comecei com programas de música eletrônica tentando manter minhas raízes, mesmo que eu soubesse que isso incomodaria uma grande massa por eu não estar executando o som com uma banda e sim de forma digital”, explicou o vocalista Phillipe Vitriol.

No início era algo bem industrial com influências como o Gothic Metal, Synphonic, Death Metal e entre outros. Com isso surgiu um álbum demo chamado “Past of Pain”, que atualmente Phillipe diz não considerar de fato um álbum e sim apenas um aglomerado de demo tapes da época. Ele falou também sobre a escolha do nome da banda.


“Nunca me prendi de fato a rótulos, eu queria apenas fazer música. O nome foi escolhido para externar exatamente a influência sonora da banda: Cyber (do cibernético, digital, eletrônico, da nossa tecnologia em geral que nos une e nos separa, nos faz bem e nos faz mal). O Croatoan vem de uma lenda de um vilarejo em que as pessoas desapareceram na escuridão da noite, não se sabe se foi algo cósmico, um buraco negro, ou algo espiritual. Então o nome é uma alusão à tecnologia que traz a escuridão dando o nome Cyber Croatoan”, esclarece Phillipe sobre o nome da banda.

Os integrantes da banda falaram com exclusividade para a Rádio Rock Capital sobre suas trajetórias, os álbuns já lançados e a história de cada um deles.

Phillipe Vitriol (Vocalista da Cyber Croatan e ex-integrante da Dark Synphorium):


“Eu iniciei o canto de fato em 2005. Quando ainda estava na adolescência comecei a me interessar por bandas como Lacuna Coil, Tristania, After Forever, Opera IX, Marduk, Emperor e outras. Tirei influência de tudo que escutei até hoje e não me prendo, estudei o canto operístico e piano clássico por algum tempo na universidade para aprimorar esse lado, pois sempre quis trazer isso para a música. Os álbuns lançados foram o álbum demo “Past of Pain”, o EP “New Vision of Pain” (já em formato metal de banda) e agora o single “I Can't Take”, todos já disponíveis em todas as plataformas digitais. Todas essas músicas falam sobre decepções pessoais, obscuridade, ocultismos, ciência e vários outros temas. Foi mais um desabafo, uma necessidade de falar de alguma forma sobre um período muito ruim em particular.”

Kaíque Nunes (Guitarrista da Cyber Croatan e ex-guitarrista das bandas Voz do Silêncio e SC16):

“Entrei na Cyber Croatoan oficialmente em 2017. Envolvido com bandas desde os 16 anos, até onde me lembro. Em minha primeira banda não cheguei a gravar nada, enquanto na segunda lançamos o álbum “O Silêncio e a Dor” (2015), um álbum que continha letras voltadas para à política (guerra, pobreza, ganância, corrupção) e o single “Sonhos” (2018), que pretendeu sair dos assuntos políticos e concentrou-se na interioridade para alcançar um assunto comum à todo indivíduo singular. Minha entrada na Cyber Croatoan foi um desafio, pois era um tipo de música que eu não estava acostumado, assim como uma grande oportunidade de experienciar e explorar novas atmosferas musicais e tonalidades afetivas.”

Robson Rodrigues (Baixista da Cyber Croatan e ex-baixista da banda de Deathcore Half Bridge):


“Em minha passagem pela banda gravei as linhas de Baixo nas músicas “Karma” (2016) e “Sete palmos” (2017). A principio fui convidado pelo Phillipe Vitriol a dar uma força à Cyber e segurar os baixos em alguns shows já marcados devido estarem sem baixista, como eu já conhecia o trabalho do Phill e o admiro muito fizemos os shows. Após os shows marcados, Phill me convidou a me juntar a banda. Minha entrada na Cyber foi algo que mudou meu conceito musical, aprendi muito com esses caras até aqui. Só tenho a agradecer a eles, tanto musicalmente quanto na amizade, excelentes músicos. Atualmente gravamos a nova single "I Can't Take", em que fiz a composição da linha de contra Baixo.”

Fellipe Roso é (Baterista da Cyber Croatan, também é músico baterista, percussionista, violonista e compositor):


“Trabalhei como montador e arquivista da Orquestra Filarmônica de Goiânia e participei de vários concertos da orquestra como percussionista entre o ano de 2010 até 2013. Também participei como baterista de bandas autorais de estilos diversos. Realizei vários shows e participei de festivais com a banda Rising Cross, incluindo uma seletiva regional para tocar no W:O:A (Wacken Open Air) no ano de 2010 que aconteceu em Brasília. Fui convidado pelo Phill Vitriol para fazer um teste para a banda. Uma banda com o som bem pesado é algo inovador, diferente e feito com o coração. Desde que entrei na banda participamos de muitos festivais juntos.”

Ainda sobre “I Can't Take”, como surgiu a letra, a melodia e no que vocês se inspiraram para criar esse single?


“A canção “I Can't Take” surgiu justamente por causa de todo o transtorno causado pela pandemia, no mundo todo. Todos em geral, conhecidos e desconhecidos, tiveram momentos terríveis com isso tudo. A perda de emprego, o medo de se contaminar, a incerteza do futuro. Essa canção veio justamente desse sentimento e de momentos particulares dos membros da banda nesse período em que a mensagem que vinha na mente era "Não Aguento Mais" que é o título da música. A letra é sincera, sem rodeios e é para todos se conectarem, pois acreditamos que todo mundo experienciou isso de forma doída de alguma maneira, mesmo os que não disseram nada sobre. Essa canção é um single solto e não faz parte do futuro material que a banda vem lançando. E também foi para marcar a nova formação da banda” explica a banda Cyber Croatoan.

Confira o Vídeo:



Você pode acompanhar a banda nas redes sociais: Facebook: https://www.facebook.com/CyberCroatoan/

Instagram: @officialcybercroatoan

50 visualizações

Posts recentes

Ver tudo